A ARTE DE ALMAR

A ARTE REAL

A Arte Real não é arte realista - a arte realista é mimética, verossimilhante, em suma, copia

 

a natureza. Nem a fotografia ou o vídeo copiam a natureza. Sabiamente um dos

 

mandamentos hebraico-cristãos dia que não se deve fazer imagens, de coisa alguma na

natureza, porque simplesmente isso é impossível.

 

Por isso a Arte Real, não só a de Almar, mas a Arte Real feita em todo o mundo, não se

 

preocupa em copiar ou retratar a natureza - cria uma outra realidade, o Real,

 

eventualmente a partir de elementos convencionais aparentes do mundo dito objetivo.

 

O quadro, a escultura, a obra real, criam um novo universo (não como o realismo mágico

 

da década de 60 tentou na literatura, que recriava um mundo fantástico), criam um novo

 

universo com outras estruturas, ou perceptíveis e reconhecíveis como se foram elementos do

 

mundo objetivo, mas sempre outros elementos, diferentes em tudo no existente no mundo

 

convencional aos olhos dos espectadores.

 

O mundo que aparece no quadro, pode parecer, por exemplo a paisagem vista da praia de

 

Copacabana do Pão de Açúcar - mas nunca será Copacabana e Pão de Açúcar realistas

 

retratados no quadro, mas outras formas, únicas e exclusivas, apenas existentes no quadro,

 

nunca as que encontramos na famosa praia carioca.

 

Esse quadro, um tema comum na obra de Almar, pode até partir do que os olhos do pintor

vêem na praia famosa, e sempre será uma homenagem a maravilhosa cidade, hoje destruída

 

pelos governos ideologicamente destrutivos, mas nunca será Copacabana e Pão de Açúcar.

 

Mas é um Real, concreto ou abstrato, mas um OUTRO real, um mundo apenas existente no

 

quadro. Com nova perspectiva, nova cor, nova lógica, em suma, um mundo diferente.

 

Parecido, mas diferente. Figurativo ou não, mas Real.

 

 A ARTE DOS FORMATOS

 

Este é um novo tipo de arte.

 

Você nunca viu um trabalho desse teor.

 

Você está contatando com a

 

ARTE REAL!

 

O trabalho de Almar não é moderno (muito menos acadêmico!), não é pós moderno.

 

Almar faz Arte Real, baseada na Nova Teoria da Arte, a Teoria dos Formatos, a primeira

 

teoria da arte baseada em conceitos científicos da realidade.

 

A verdadeira arte de modo algum é apenas o novo, o inusitado, como queriam os modernos.

 

O novo nunca é o mais artístico e raramente o melhor.

 

 

É apenas o novo, geralmente pior que o velho, porque o velho já mostrou seu valor -

 

e por isso permaneceu - e o novo nem sequer

 

pôde mostar-se ainda, e pode ser apenas péssimo.

 

Geralmente o é, principalmente se desvinculado do que o velho aprendeu.

 

O novo, para ser bom, tem de percorrer TODO o caminho do velho,

 

porque ainda não o conhece, nunca o fez.

 

Tentando "pular" a experiência do antigo, repete pior os erros antigos,

 

ou etereniza velhos erros, que passam a ser regra e norma.

 

Como hoje acontece...

 

Isso quase matou a arte.

 

Aliás, para muita gente, a arte está morta.

 

Ao menos a arte moderna, a pós moderna e seus filhotes.

 

Sim, é bom que a Arte seja o novo, mas não é porque novo, que algo seja artístico.

 

É bom que a arte seja comunicativa - ou então para que arte?

 

Sem receptor, não existe arte, mas masturbação artística, nascisismo artístico,

 

egocentrismo puro, pura estupidez .

 

Por isso o povo fugiu das galerias, que fecharam

 

todas - ou quase! - ao menos no Brasil.

 

Arte tem de ter sentido - nada que deixe de ter sentido pode existir - e a tentativa dadaísta

 

de matar a arte, hoje, chegou ao seu resultado, exatamente por causa uma arte sem sentido

 

como a conceitual, o happening, a instalação, o quadro branco, ou mesmo o não quadro.

 

Culpa do moderno, do iedológico.

 

O próprio presidente do Brasil, Prof. Fernando Henrique Cardoso,

 

sociólogo, tendo sugerido

 

que os acessores providenciassem um novo quadro de um artista brasileiro para colocar por

 

trás da cadeira onde trabalhava, semanalmente, para valorizar nossos artistas,

 

assustou-se, um dia, ao encontrar uma tela branca -

 

e perguntou porque não haviam colocado o novo quadro.

 

 

Então, foi informado que a tela branca era o novo quadro... e isso, dito pelo presidente, um

 

 

sociólogo, um homem culto. Calcule o homem comum?

 

Para ele, isso é piada. E é!

 

O MOVIMENTO DE ARTE SUBTERRÂNEO

 

As pessoas parecem tolas, nas não são: nos EUA acontece um fabuloso movimento

 

figurativo natural, paralelo ao mundo da "arte moderna oficial"- mas que movimenta

 

milhões de dólares - e é aceito pela maioria absoluta das pessoas, qus consomem essa arte,

 

em quantidades fabulosas - mas os "críticos" a desprezam, como "arte menor, de velhinhas

 

aposentadas" - mas de forma alguma o é.

 

Isso acontece, também, na Europa e no resto do mundo, mas é solenemente ignorado por

 

todo o "mercado oficial", que mantém em foco sempre os mesmos "artistas", inflacionando

 

preços, mas destruindo, de forma quase definitva o que realmente seria arte.

 

Em todo mundo, sobrevive, desde o princípio do século XX, um movimento subterrâneo , que

 

cresce e existe na contra-mão da arte puramente objetiva,

 

materialista, formal, objetiva, moderna -

 

que domina o mercado.

 

Essa arte subterrânea é uma arte de verdade,

 

todo um mundo artistico, que estou chamando

 

de

 

Real.

 

Claro, porque esses artistas trabalham à parte do aceito oficialmente, do novo

 

academisismo, das novas panelinhas, seus trabalhos alcançam preços baixos, porque não

 

reconhecidos pelo "mundo artístico oficial", mas é a Arte Real.

 

 

Galeristas, marchands, o próprio mercado de arte, mesmo as pessoas comuns, todos

 

perdem, porque a arte está desaparecendo da face da terra, e isso está levando nosso

 

mundo

 

à barbárie: um mundo sem arte, sem poesia, sem valores elevados,

 

é o mundo do AR15, do terrorismo, da morte, da dor.

 

Eu prefiro o mundo da beleza, de Deus, daVida,

 

o mundo da elevação dos espíritos,

 

o mundo da Arte Real.

 

Mas são essas obras que interessam às pessoas que não pertencem ao mundo da arte, as

 

pessoas que não são especialistas, nem colecionadores,

 

nem críticos, mas os homens comuns.

 

Esses, mesmo cultos, médicos, capitães de indúistria, embora possam adquirir vangogs por

 

milhões de dólares, dificilmente colocariam um picasso no quarto de seus filhinhos, porque

 

temeriam provocar problemas psíquicos no pobrezinho...

 

então, em suas casas, escritórios, por gosto, possuem

 

retratos, paisagens, e marinhas - reais...

 

Na Europa, então, rolam dois mundos, o da arte moderna, definhando nos estertores das

 

bienais, mostras "oficiais" e exposições exclusivas para artistas e críticos

 

e uns poucos investidores - que

 

cedo outarde chorarão amargamente o fato de terem gasto seus mlihões com loucuras que

 

de artístico possuem apenas o conteúdo ideológivo - mas nada de arte.

 

Porque a arte moderna é a arte ideológica por excelência, arte do

 

engajamento, e que mente ao se dizer pura.

 

O modernismo é apenas ideologia, não necessariamente arte -

 

e foram as pessoas, "o povo" quem o renegou...

 

O FORMATO

 

A física do século XX provou exaustivamente que, o que consideramos nossa realidade

 

exterior é meramente uma construção particular de cada um de nós.

 

 

A única realidade está no interior de cada indivíduo -

 

o observador do fenômeno na física da relatividade, na física de incerteza, etc.

 

 

Somente o indivíduo tem coerência, no mundo real.

 

 

Então, o Interior do indivíduo é sua realidade.

 

 

Esse interior, além de inconsciente, freudianamente falando, é comum a todos os seres -

 

 

porque a realidade é não local, como a física quântica provou.

 

Mas o ser humano, mesmo o artista, aparentemente vive obvjetivamente, ilusoriamente.

 

Eventualmente, por diversos motivos, algum indivíduo consegue mergulhar em seu Interior

 

e contata o Real, a Fonte de seu universo exterior.

 

Conscientemente ou não, passa o resto da vida tentando transferir sua experiência (que

 

pode te sido consciente ou não, lembrada ou não - em geral não é -),

 

para o mundo objetivo.

 

A esperiência artistica, assim, parte do contato do artista com seu interior, com a "Fonte".

 

Por iso falou-se tanto, no romantismo, de "inspriração" - assassinada pelo moderno,

 

que abandonou o subjetivo .

 

Mas os românticos tinham as dicas necessárias para a realidade

 

da obra artistica, mas as perderam em egocentrismos desnecessários.

 

 

Tendo contatado com o Interior ( se você preferir chamar de Deus, tudo bem, mas não

 

 

necessariamente!) o artista CRIA UMA

 

ESTRUTUTURA INTERIOR,

 

UM FORMATO,

 

 

para tentar colocar em termos de personalidade, o que encontrou.

 

 

Esse fornato tem de ser individual, pois é a primeira interpretação pessoal da Fonte.

 

 

Então, em busca de colocar no fora o que encontrou Dentro, o artista busca a obra prima,

 

 

que sempre será a futura.

 

 

O artista coloca seu formato no mundo objetivo

 

e o resultado desse FORMATO é a obra de arte.

 

 

Por sua ver, o espectador, o fruidor, em geral de modo inconsciente, consegue "intuir', ou

 

 

"captar" esse formato, na verdadeira obra.

 

Mesmo sem entender porque, encanta-se,

 

 

apaixona-se, reverencia-se ante o resultado.

 

 

É a Obra de Arte.

 

 

A arte puramete formal, objetiva, dificilmente tem um formato por tras de si.

 

 

Por isso, raras obras formais têm multidões adorando-as.

 

Apenas técnicos, críticos e outros artistas,

 

bajulando-se a si mesmos, adoram-se, mas odeiam sua próprias obras,

 

PORQUE NINGUÉM PODE AMAR UMA OBRA PURAMENTE OBJETIVA,

apenas valorizá-la como obra comercial,

 

como valor de projeção em si. Por isso, a arte formal

 

matou a arte, porque a arte formaL simplesmente não é arte.

 

Todas as formas de arte, antes do moderno, mesmo antes do próprio impressionismo, que é o

 

embrião do moderno, todas, de alguma, forma trabalhavam, ainda que não assumidamente

 

com o formato. Por isso eram consideradas pelo mundo.

 

Quando o formato foi abandonado pela pura forma objetiva,

 

o ser humano desinteressou-se pela arte.

 

Na arquitetura temos os mausoléus modernos

 

e os túmulos grotescos pós modernos.

 

A poesia foi assassinada pelo concretismo, a pintura pelas vanguardas, que

 

acabaram na tela branca e no abandono da própria tela.

 

 

Realmente é muito difícil fazer algo bom, depois de tanta loucura.

 

 

Poir isso faço ArteReal.

 

 

OS PRINCÍPIOS DA ARTE REAL

 

 

A Arte Real parte do princípio que o universwo objetivo em que as pessoas acreditam viver

 

 

NÃO É O MUNDO REAL.

 

 

Na medida em que

 

 

a - A física do século XX provou que nada é absoluto no mundo objetivo (isto é, tudo é

 

relativo, analógico, nada existe em si mesmo, além do observador, no caso, o INDIVÍDUO) .

 

 

Provou, também, através do princípio da incertez\a, de que, criando, o observador (o

 

 

indivíduo!) o que observa - o mundo que as pessoas considram real é uma CONTRUÇÃO

 

 

PESSOAL, em suma, um Universo Paralelo.

 

 

Ou seja, o mundo objetivo NÃO É O REAL.

 

 

b - Como só se pode considerar, a partir disso, o INDIVÍDUO.

 

É nele, indivíduo, que está

 

 

Fonte do mundo exterior, em seu Interior. Ou seja, ali está o Real.

 

 

Mas o real não é exprimível, não se pode dizer "ei-lo aqui ou ei-lo ali",

 

 

pois o Real está no Interior.

 

 

O artista é o ser que, de alguma forma, contata, eventualmente, esse interior e passa a

 

 

 

tentar, por toda vida, expressá-lo objetivamente.

 

 

Um artista é um ser que está tentanto objetivar o Real, no mundo relativo,

 

no mundo das aparências, o mundo exterior.

 

 

Como isso é impossível, faz arte.

 

 

Entretanto, não é possível traduzir, em termos de qualquer linguagem objetiva, o Real que o

 

 

o candidato a artista encontrou no Interior.

 

 

O máximo que pode fazer é, a partir de suas característas de sua personalidade, única, criar

 

 

 

uma estrutura, uma espécie de "rascunho pronto", do que contactou, um FORMATO

 

 

 

interior, que, depois, transformará em obra, no mundo objetivo.

 

 

O FORMATO

 

 

Toda obra de arte, se o for, terá de ter surgido de um formato, e retratará o Real, seja um

 

 

 

verso, uma melodia, uma escultura, um quadro, etc.

 

 

Pois, então, não pode haver arte puramente objetiva: poderá ser um exercício formal, mas

 

 

nunca arte. Essa a causa da morte da arte no século|XX, porque o moderno é a arte do

 

 

formal, do novo, do objetivo. E matou a arte.

 

 

 

ARTE REAL, FIGURATIVA OU ABSTRATA, MAS NUNCA REALISTA.

 

Já foi dito que uma paisagem numa tela,

 

não é uma cópia de uma paisagem do mundo objetivo,

 

mas um quadro onda alguém CRIOU uma OUTRA paisagem.

 

A própria Bíblia, quando diz "não farás inagem... etc", não proibe, mas ensina

 

que a reprodição do mundo objetivo é impossível,

 

mesmo em nossa mente.

 

A Arte Real, então, não busca a verossimilhança, nem mesmo a mera parecença,

 

quando muito pode até partir do objetivo, mas, SEMPRE cria um novo Real,

 

sempre a partir do Real interior, ainda que usa símbolos aparentes do mundo objetivo

 

A arte real pode ser figurativa, desde que não seja realista ou que não busque a

 

verossimilhanca com qualquer ser do real aparente, do mundo objetivo- embora possa partir

 

dela para exprimir o formato .

 

Por isso a arte Real não é necessariamente acadêmica

 

ao ponto sentido de seguir cânones e regras -

 

até porque o próprio modernismo, ao assumir a forma e o objetivo puro,

 

que também acaba sendo tão acadêmico quando o que chamou de pompier, do século XIX

 

Entretanto o Real pode ser também formal e regrado,

 

- mas pode usar a técnica do acadêmica junto a mais moderna técnica contemporânea,

 

se isso for preciso para retratar o FORMATO.

 

 

Inclusive, a Arte Real pode ser abstrata, desde que não seja apenas um excercício formal

 

ou uma tentativa pura de criar o novo mas,

 

mesmo sendo tudo isso, acima de tudo

 

 

queretrate o formato, dentro do artista.

 

 

O ABANDONO DA ARTE PELO POVO.

 

 

As pessoas sempre perceberam o que era ou não arte, pelo simples fato que o mais tolo

 

 

observador INTUI se na obra de arte está um formato.

 

(Uma arte que tem de ser "explicada", que tem de ser dita pelos "especialistas" que seja

 

 

arte, desaparece, porque tanto não é arte,

 

quanto não interessa a pessoaalguma - e morre!

 

 

A Mona Lisa é "feia", nada tem de espetacular formalmente - mas embevece pessoas há

 

 

mais de quatro séculos. Isso acontece porque os espectadores percebem o FORMATO

 

 

 

que Da Vinci colocou na obra, ou seja, estabelece-se uma espécie de ponte

 

 

 

fruidor - obra - formato intuído pelo fruidor- Fonte - formato do artista - obra - artista

 

 

Isso acontece inconscientemente, mas perceptivelmente,

 

 

o q ue nunca acontece nas obras puramente formais.

 

 

Mas o moderno é só formal, objetivo, deterta o não objetivo, repudia-o, por ideologia.

 

Por isso as galerias fecham, os museus esvaziam, arte morre!

 

 

O estúpido, o bárbaro, ( o rock, o funk, o pagode,), a morte da poesia, da arte em si, tudo

 

 

isso foi feito, inclusive, conscientemente a partir dos dadaístas

 

 

(que nunca deixaram de dizer que estavam tentando acabar com a arte),

 

com a loucura do quadro branco, da fuga dos suportes, da

 

negacão de pintura, (pintores que nunca aprenderam a pintar, desenhistas que nunca

 

aprenderam a desenhar: imagine um médico que nunca passasse pela escola de medicina?

 

ou um piloto de jato autodidata?) - da negação da arte - e culminado com a arte conceitual

 

 

com os happenigs, etc. Como não poderia morrer?

 

 

Mas a Fonte está dentro do artista - e ele sempre retorna a fazer Arte Real.

 

 

Só que estou assumindo que faço Arte Real.

 

 

Espero que os artistas que fazem Arte Real, não puramente formal e não apenas nova,

 

 

aliem-se a nós, para ressucitarmos a artes, a música, pintura, a poesia, etc.

 

 

Marchands, produtores de arte, galerias, museus, fruidores, artistas, todos os que se

 

 

interessam pela sobrevivência da arte, unam-se, para salvar a Arte, porque, salvando a arte,

 

retomemos ao mundo que busca a civilizacão, em contraste com o mundo de hoje, que

 

caminha para a barbárie, para o caos social, para o fim ecológico...

 

 

Façamos, todos

 

Arte Real!

 

pelo bem da Arte, pela salvação de nossa civilização, do mundo

 

ABAIXO O MODERNO,

 

 

VIVA A ARTE REAL!

----------